Para adquirir nossos folhetos e demais materiais para palestras







O Sacramento do Matrimônio
Documentos - Matrimônio


O Sacramento do Matrimônio

Palestra de autoria do Pe. Michael E. Rodriguez, feita na Igreja Católica de San Juan Bautista, em El Paso, Texas, em 15/02/2007 (Anotações)

 

É extremamente importante reconhecer que o matrimônio é tanto uma realidade HUMANA quanto DIVINA, e que a realidade divina sempre suplanta o elemento humano. Sem essa compreensão, os matrimônios estão sujeitos a muitos problemas, e em muitos casos, acabarão em fracasso.

 

Não basta dizer “Eu amo o/a meu/minha esposo/a, temos uma bela casa em um bairro agradável, temos bons empregos e somos felizes” por termos um bom casamento. Se a salvação/felicidade eterna de qualquer um dos dois ou ambos estiver em risco devido ao pecado, ele NÃO é um bom casamento.

 

A Fé é essencial para um bom casamento. Se faltar fé em Deus por parte de um dos cônjuges, os esposos não estão crescendo na fé, eles não conhecerão ou serão capazes de aceitar o significado do matrimônio, e haverá sérios problemas dentro do relacionamento se a prioridade do elemento divino estiver faltando devido à falta de fé. Nunca podemos captar plenamente a dimensão divina do matrimônio sem a fé, porque a fé abre a nossa alma para Deus e para as realidades divinas.

 

No mundo de hoje, o secularismo e o materialismo imperam. O que os cientistas e “peritos” em diversos campos têm a dizer recebem mais importância do que aquilo que é ensinado pela nossa fé. Aceitamos as suas suposições: de que o importante é aquilo que traz prazer imediato, conforto e satisfação. Este tipo de pensamento afeta o matrimônio e não ajuda as pessoas a entenderem a realidade divina do matrimônio. Isso é lamentável, porque os casais nunca serão capazes de viver seu matrimônio bem sem compreender o elemento divino e sem a fé; essa compreensão lhes escapará.

 

O mundo é SECULAR, MATERIALISTA e dificulta bastante que qualquer pessoa cresça na fé. Os atrativos que o mundo oferece incluem: Televisão, com os seus valores perniciosos, não apenas corrompe os espectadores, mas também impede que o casal dialogue sobre vários assuntos, partilhando idéias e explorando opiniões diversas. Ela não ajuda a crer no divino, a rezar juntos e somente corrompe o dom de Deus de nossa sexualidade. A Internet, centrada nos valores seculares e materialistas, mantém os casais em um mundo separado um do outro.

 

Bens materiais e consumismo, com enfoque na aquisição de mais e mais roupas, jóias, aparelhos, etc., uma casa maior, um carro melhor, um emprego melhor para ter mais dinheiro para gastar.

 

O mundo da diversão, com os seus esportes, jogos, filmes, concertos, programas televisivos de fofocas.

 

Tempo excessivo gasto no trabalho ou na escola.

 

O problema principal hoje em dia é que muitos pertencem mais ao mundo do que a Deus. Um exemplo que ilustra isso é o desinteresse de muitos casais em ter mais do que 1 ou 2 filhos. Outras coisas são mais importantes para eles, como, por exemplo, dinheiro para gastar com bens materiais ou férias, a figura da mulher.

 

QUAIS DEVERIAM SER AS PRINCIPAIS CONSIDERAÇÕES?

 

Chegar ao Céu e educar novas almas para conhecer, amar e servir a Deus. Está faltando entre muitas pessoas esta consciência do que é de importância fundamental, e isso se deve ao fato que está faltando fé. A fé deve estar presente, de outra forma não podemos enxergar a realidade divina do matrimônio. Precisamos crescer na Fé. Ambos os esposos precisam se esforçar para crescer em sua fé.

 

MEDIDAS PRÁTICAS PARA O CRESCIMENTO NA FÉ

 

Examine a maneira como você passa o seu tempo. Quanto tempo está sendo despendido em ir à Missa e à Confissão, em rezar, ler as Escrituras, passar algum tempo diante o Santíssimo Sacramento, em estudar a nossa Fé? Fortaleceremos a nossa Fé despendendo mais tempo nessas atividades.

 

Nosso entendimento sobre o matrimônio é determinado pela Fé ou pelo mundo e seus valores. Os seres humanos se tornam escravos do pecado e do mundo quando ficam preocupados demais com a casa, o trabalho, a escola, a aparência e etc., em vez de se certificarem de que a sua alma está de bem com Deus.

 

As realidades abaixo são extremamente importantes, mas muitas pessoas as consideram difíceis de aceitar porque elas são muito cativas, muito envolvidas pelas atitudes e valores mundanos:

 

DEUS e o DEMÔNIO - Ambos são reais. Deus nos da o dom do matrimônio; o demônio o distorce.

GRAÇA e PECADO - A Graça nos ajuda a viver bem dom. O pecado causará ruína e se opõe à graça.

CÉU e INFERNO - Os casais caminharão através da vida seguindo para o céu ou para o inferno.

 

Os esposos ou trabalham com a graça para caminhar em direção ao céu ou a rejeitam e se tornam escravos do pecado.

 

O ENFOQUE NO MATRIMÔNIO DEVE SER EM DEUS, JESUS E SUA IGREJA. Ambos os esposos devem estar em harmonia. Se existirem diferenças relevantes na crença desses três aspectos, mais cedo ou mais tarde, haverá grandes problemas no matrimônio. Não se pode entender a essência do matrimônio, a não ser que se conheça claramente certas verdades:  Deus criou o matrimônio. Ele no-lo deu como um dom. O MATRIMÔNIO PERTENCE À DEUS! Através do sacramento do matrimônio, o casal se torna UMA SÓ CARNE.

  

Hoje em dia muitos católicos apenas vivem juntos ou então celebram um contrato civil. O governo pode dizer que eles estão casados, mas isso não significa nada, porque o governo não criou o matrimônio. Faz tão pouco sentido dizer que o governo pode conceder uma licença de casamento quanto afirmar que a Igreja pode conceder uma carteira de habilitação. Nenhum dos dois estaria operando em sua esfera de influência.

 

Os casais precisam ter Jesus como o seu exemplo a fim de compreender o que significa o matrimônio.  Jesus deu a Sua vida por Sua esposa, a Igreja. A Igreja é o Corpo Místico de Cristo.

 

OS CASAIS DEVEM SER ABSOLUTAMENTE FIÉIS AOS ENSINAMENTOS DE SUA IGREJA, PORQUE ELA FALA COM A VOZ DE JESUS, A FIM DE VIVER O SEU DOM DE MATRIMÔNIO.





voltar à página Documentos - Matrimônio

Ser contra o abortamento provocado de bebês no ventre materno é uma questão ética, já que todos os seres humanos, independentemente da sua idade, ou de qualquer outra condição, têm a mesma dignidade de pessoa humana. É também uma questão científica, visto que há décadas a Ciência afirma que a vida humana começa no momento da concepção, com a primeira célula, o zigoto. É, ainda, uma questão jurídica, uma vez que todo ser humano tem, como o primeiro dos direitos, o direito natural à vida, da concepção até a morte natural. Finalmente, é uma questão também religiosa porque cada um de nós tem, acima de tudo, a dignidade sobrenatural de filho ou filha de Deus.